sábado, 1 de janeiro de 2011

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Vou iniciar meu blog falando um pouco sobre RESPONSABILIDADE SOCIAL nas Empresas. Esse foi um dos temas que tive  na faculdade onde fizemos um trabalho em grupo, depois de várias pesquisas, e foi muito interessante.
Aliás, vários temas aqui publicados será através de trabalhos feitos na faculdade, por pesquisas na internet e leituras de livros e/ou revistas que eu achar interessante compartilhar com todos. Mas não se preocupem todos terão suas fontes informadas.

Bem..., vamos ao tema sobre RESPONSABILIDADE SOCIAL

A avaliação de responsabilidade social das empresas envolve diversos elementos tais como: os valores que a empresa representa, a relação que estabelece com o público interno, meio ambiente, consumidores, comunidade, com o governo e a sociedade como um todo. 
No caso específico do público interno, ou seja, os trabalhadores, para que a responsabilidade social dê efetivo retorno à empresa, são necessárias ações vinculadas aos interesses ideológicos do sistema social capitalista.
Antes de executar suas ações, a empresa deve cuidar de seus empregados, não poluir, proteger o meio ambiente, demonstrando a sua capacidade de criar benefícios, direcionados ao bem-estar da sociedade em geral, garantindo sua aceitação ideológica e contribuindo para conter as intervenções no Estado e na economia.
A Responsabilidade Social da empresa, não representa uma ameaça ao sistema capitalista e sim que essas as ações trarão benefícios e bem-estar para a sociedade, através de desenvolvimento de projetos sociais interligados com instituições comunitárias, escolas, postos de saúde, centro de esportes e outros.
Ações como estas, não representam grande ônus financeiro, mas são fundamentais para a imagem da empresa, indispensáveis para saber se as ações estão atingindo seus objetivos.
As empresas que mantêm ações na área social, também recebem incentivos fiscais do governo, com abatimentos dos impostos e outras vantagens e, com isso, aumentam a sua lucratividade.
Os programas sociais devem desempenhar uma relação socialmente responsável juntos aos seus fornecedores, clientes, funcionários e acionistas.
O desenvolvimento dos programas sociais são relacionados a uma tendência a gerar uma boa imagem para a empresa, tanto na comunidade em que está inserida assim como para os consumidores de uma maneira geral e formando também funcionários satisfeitos e que, conseqüentemente, produzem mais e melhor.
Considerando todas as mudanças econômicas e políticas, que acarretam em modificações nas estruturas das empresas e nas novas relações entre capital e trabalho, há de se considerar que estas mudanças organizacionais ganham um novo enfoque ao serem inseridas juntamente com uma proposta de responsabilidade social.
A idéia de responsabilidade social agrega novos valores à empresa tanto externamente (fornecedores, comunidade e clientes) quanto internamente (em relação à seus empregados) fazendo com que as tensões anteriormente estabelecidas passem a ser mediadas por uma nova postura adotada pela empresa.
Os principais benefícios que a empresa assume e que estão ligadas à responsabilidade social, são: motivação dos funcionários, aumento da produtividade, aumento das vendas, fortalecimento da imagem da empresa, competitividade, habilidades e lideranças.
Sabe-se que não basta conhecer a realidade para agir sobre ela. É necessário a presença de uma pessoa que saiba dominar todas as variáveis dos processos em que esta realidade está envolvida, bem como possuir uma bagagem adequada para poder garantir uma interferência e resolver os problemas da empresa.
Para isso, é necessário a presença de um administrador , com formação superior, para que conduza as ações de responsabilidade social de forma abrangente e que traga resultados benéficos para a organização.
É necessária a separação de funções, ou seja, a gestão de negócios da empresa, passa a ser dividida de acordo com a estrutura piramidal. Os proprietários passam a dividir a gestão de negócios com profissionais específicos para exercer essa função.
Quanto maior a autonomia e a possibilidade de tomar decisões, relacionadas à programas de responsabilidade social, mais participativo será o modelo de administração adotado pela organização.
O administrador preocupa-se com a prosperidade da empresa, que envolve as relações internas e externas. Uma organização é composta de duas grandes forças: o capital e o trabalho e essas forças, juntas,  compõem o vetor que alavanca a organização à frente, alcançando os rumos desejados.
Quando se fala em organização de uma empresa, não se pode esquecer de falar sobre a liberdade de expressão e a participação das pessoas que será de extrema importância para a responsabilidade social. O ordenamento institucional da sociedade envolve a construção de modernos mecanismos de controles sociais, legais ou não, relativos às manifestações em um mundo mais democrático que restringe as ações empresariais, da qual surge e desenvolve três aspectos fundamentais: a desigualdade social, o poder da empresa e os direitos individuais.
Com isso, não há possibilidade das empresas ignorarem os problemas e as conseqüências e repensar seu comportamento e seus valores perante a sociedade, impondo mais responsabilidade na construção de uma base mais sólida e segura para operarem seus negócios, dentro dos limites aceitáveis pela sociedade.
Agindo dessa forma, poderão reagir às pressões do meio ambiente, construindo um ordenamento institucional que favorece sua sobrevivência e seus interesses econômicos, atingindo uma posição socialmente mais responsável, sendo reconhecida por outros grupos sociais com o qual terá a oportunidade de interagir, cujos fatores influenciam a responsabilidade social da empresa.
É preciso também, observar a vinculação da ética empresarial à responsabilidade social, pela qual as dimensões ética, social e até mesmo espiritual estão ligadas à economia, à empresa e aos benefícios.
Deve-se aceitar que a ética não é um vinculo para a empresa, mas uma oportunidade que qualifica sua eficiência e seus objetivos, ou seja, os valores morais, como a responsabilidade, a solidariedade, a justiça, o cuidado com o meio ambiente, o respeito aos direitos humanos.
Os valores dos homens definem o comportamento padrão aceitável pela sociedade e que se manifestam em sua cultura.
Os valores estabelecidos na sociedade afetam a percepção da empresa, uma vez que, ela está inserida nessa sociedade e a responsabilidade social deverá ser assumida conforme a sua cultura.
Esses valores fundamentais, evoluem e a empresa receberá essa influência e poderá mudar junto.
As ações promovidas pelas empresas devem ser de fato e não apenas um discurso para que realmente tenham efeito na comunidade a que pertencem. Há de se ressaltar que, todas as ações devem ser permeadas pela moral e a ética, o que vale dizer que elas devem refletir o comportamento e os costumes praticados pelo homem. A ética visa a sabedoria ou o conhecimento temperado pelo juízo.
Os atos livres e conscientes das empresas, exigem um alto grau de responsabilidade,  além da simples tradição e valores sociais do homem, trazendo a contribuição da evolução da consciência humana reflexiva, efetivando mudanças nos padrões de comportamento da sociedade que passam a considerar a influência da ética.  
   


Apresentação

Olá!
Meu nome é Célia, sou formada em Recursos Humanos e certificada como Perito Trabalhista. A finalidade deste blog é para compartilhar minhas experiências e expectativas adquiridas ao longo de minha carreira.
Com este blog espero poder contribuir e muito para o crescimento área.
Conto com você.
Abraços!